O que é Couchsurfing?

Oie, como vocês estão?

Hoje eu vim com um post mais informativo, porque ninguém merece só ficar lendo sobre minha vida né? hahaha

Já desabafei tudo que eu tinha pra desabafar, agora vamos pra o que importa: trazer informações úteis pra vocês!

Vim contar sobre um site que me ajudou muito nas minhas viagens pelos EUA, o Couchsurfing. Couchsurfing nada mais é do que um site onde você acha pessoas ao redor do mundo que oferecem suas casas pra viajantes se hospedarem de graça! Parece bizarro e um convite pra um filme de terror né? Mas não é gente, ainda existe pessoas boas nesse mundo que querem ser gentis, e querem vivenciar uma troca de cultura.

Funciona assim, primeiro você faz o cadastro no site. Depois, escolhe a cidade pra onde deseja ir, coloca os dias em que estará na cidade e com quantas pessoas você vai viajar. Aí, o site de mostra uma lista de hosts que estão disponíveis pra te hospedar nos determinados dias. Você manda uma mensagem pro host contando um pouco sobre você e seus companheiros de viagem, e que você adoraria que ele hospedasse vocês. Combinam os detalhes e voilà!

Ah, não espere um super quarto de hotel, aliás, não espere nem que você tenha um quarto. É qualquer canto pra dormir mesmo! Sofá, colchão, casa do cachorro hahaha o intuito do Couchsurfing é justamente a troca de cultura, você conhecer alguém local de um lugar que esta visitando, e seu host conhecer um pouco de onde você vem. Além ter a oportunidade de fazer uma viagem super legal com um custo bem baixo.

DICAS!

• Sempre optar pelo host com mais reviews e que tenha o perfil verificado!

• O site tem uma proposta incrível, mas infelizmente existem pessoas no mundo mal intencionadas. Quanto mais reviews e fotos a pessoa tiver, melhor! Tente extrair o máximo de informação que você conseguir da pessoa pra não cair numa furada!

• Tenha um perfil completo! Coloque fotos e preencha seu perfil com o máximo de dados que você conseguir. Isso também ajuda você a ter uma reputação legal no site, e com isso, ser aceita mais facilmente.

• O mais legal do Couchsurfing é que é de graça! Mas gentileza gera gentileza né?! Não custa nada tirar uma noite da sua viagem e preparar uma janta pro seu host, tomar uma breja, levar pra um bar ou fazer qualquer coisa que esteja ao seu alcance pra demonstrar seu agradecimento.
Eu e a Daff sempre fazíamos strogonoff nas casas em que ficávamos. Era um ótimo jeito de agradecer pela hospedagem e uma ótima troca de cultura! E cá entre nós, quem não ama um strogonoff? Os gringos piravam!

• Quer melhor forma de conhecer um lugar do que pelos olhos de quem mora lá? Converse com seu host, peça dicas de onde ir, onde comer, como ir, quando ir… Tente extrair o máximo de informação sobre a cidade que você conseguir, com certeza sua viagem será mais especial e única.

• Fez Couchsurfing e gostou? gostou do seu host? recomendaria? Faz um review pro cara! Comente sobre sua experiência na pagina dele, é bem importante! Ajuda ele a ter uma reputação melhor no site e com isso, outros viajantes podem ter a mesma experiência legal que você teve =)

Minha experiencia

A primeira vez que eu e a Daff fizemos couchsurfing foi meio que no desespero hahaha Estávamos em uma cidade que se chama San Luis Obispo, e nossa intenção era de só passar o dia na cidade e voltar pra San Francisco a noite. Mas a cidade tinha bastante coisa legal pra se ver e acabou ficando tarde pra gente voltar. Como éramos AuPair e hotel não era uma opção, a gente já tava conformada com o fato de que iríamos dormir no carro (que não seria a primeira vez! se tem uma coisa que a gente fez quando éramos AuPair, era dormir no carro! hahaha Que época boa meu Deus). De ultima hora a Daff achou o couchsurfing e encontramos um cara bem legal pra hospedar a gente. O cara foi demais, cedeu a cama dele pra gente dormir e ele foi dormir no sofá. Confesso que eu fiquei meio apreensiva, acordei varias vezes durante a noite achando que o cara ia matar a gente hahahaha. Claro que deu tudo certo.

Depois, usamos couchsurfing quando fomos pro Hawaii e Chicago. No Hawaii usamos 3 vezes pois ficamos em Oahu, depois fomos pra Kauai e depois voltamos pra Oahu. Todos os nossos hosts foram incríveis! Conto mais sobre uma das melhores viagens da minha vida num outro post =)
Em Chicago também usamos e nosso host foi demais também, ele nos indicou vários lugares legais pra irmos, e ainda nos levou pra comer pizza no lugar preferido dele, e brunch num restaurante incrível!

Com certeza minhas viagens tiveram um toque muito mais local pois eu usei o Couchsurfing. Fora a economia né?

montagem post sem fundo

Nós e nossos hosts incríveis!

É isso gente, eu amo Couchsurfing, com certeza o site fez minhas viagens serem possíveis, pois é uma economia bem da boa. E eu espero um dia poder hospedar viajantes na minha casa também, pra tentar retribuir um pouco das experiências incríveis que eu tive graças ao site =)

Espero que tenham gostado, beijos!

Advertisements

Ciao!

Oláá!

Como vocês estão? Vim desabafar um pouco sobre minha vida desde que eu cheguei aqui! =)

Bom, como eu disse no último post, eu vim pra Itália meio que na loucura, minha prima me chamou pra vir morar com ela e eu não pensei duas vezes, comprei a passagem em uma semana, e depois de um mês estava aqui, em Torino, uma cidade que fica a 2horas de Milão, e é também cidade onde fica o maior time de futebol da Itália, a Juventus (que aqui se pronuncia Iuventus #ficaadica).

Eu estou no processo de tirar minha cidadania Portuguesa, que olha, é bem burocrático e bem caro. Posso até fazer um post sobre isso mais pra frente. Bom, minha cidadania era pra sair logo depois que eu chegasse na Itália, então eu tava super tranquila.
Meus planos eram chegar aqui, pegar uns bicos de babá até minha cidadania sair, fazer um curso de italiano e depois de uns 3 meses já ter casa, emprego, carro, marido, filhos (os dois últimos é uma gostosa brincadeira amigos, pelo amor de Deus). SÓ QUE NÃO NÉ.

E se tem uma coisa que essa Itália ta me ensinando é: PA-CI-ÊN-CIA 
Eu sempre fui – e ainda sou – uma pessoa imediatista, quero tudo pra ontem, e se não acontecer, eu desisto, simplesmente. Como uma boa ariana né queridosss hahaha.
Então desde que eu vim pra cá eu sinto que estou sendo “testada” a todo instante, pra justamente ser uma pessoa mais paciente e ver que as coisas não acontecem da noite pro dia.

Acontece que eu to aqui já faz uns meses e minha cidadania ainda não saiu, meu italiano não tá ótimo ainda, as pessoas aqui não falam inglês, logo eu não consigo muitos trabalhos como babá, e os cursos de italiano só começam em outubro.

Nos primeiros meses, eu me desesperei. Chorava todos os dias, tava sem rumo, sem direção, ficava pensando se eu fiz a escolha certa, se minha prima ia me chutar de casa da noite pro dia, se o dia ia raiar amanhã, se a vida fazia sentido, se o branco era branco mesmo, bem novelona mexicana mesmo, dramaaaatica hahaha

Minha prima e eu conversamos muito. Ela me deu total segurança de que ela tá aqui pra mim pra o que der e vier, que ela sempre soube que não seria em um mês que minha vida iria se resolver e que era pra eu ficar tranquila. A sorte que eu tenho de ter alguém que já passou por tudo que eu to passando, e ainda ser alguém da minha família, não dá pra descrever. Nem sei o que eu tenho que fazer nessa vidinha e nas próximas, pra agradecer tudo que ela tá fazendo por mim, sério mesmo. No meio dessa turbulência que tá a minha vida ultimamente, Deus tá sempre colocando anjos no meu caminho pra eu não enlouquecer de vez, ainda bem.

A questão é que eu não sei ainda se eu tomei a melhor decisão, eu ainda não sei que rumo tomar, ainda não tenho um emprego fixo (to fazendo uns bicos aqui e ali) e eu ainda me desespero de vez em quando. Mas eu to aprendendo a ter paciência, aprendendo a entender e observar o que tá acontecendo. Não é fácil, eu sou agitada, quero tudo pra ontem, quero viajar, quero ir pra Londres, Berlim, Barcelona, afinal, eu to na Europa meu Deus, me deixa aproveitar! Massss, não é assim que tá funcionando e eu to tendo que aprender a lidar com a vida de uma outra forma.
Não é fácil, mas vou contar pra vocês que não tá sendo ruim não, viu?! Tá sendo um desafio me encontrar e de manter a calma no meio desse mar de incertezas que tá essa vidinha de meu Deus, mas eu to aprendendo demais. E quando eu vejo pequenas coisas dando certo, aos poucos, está me fazendo ser mais grata por tudo que tá acontecendo comigo.

Minha relação com a Itália é de amor de ódio, quero fazer um post sobre as minhas primeiras impressões daqui e das diferenças daqui com os EUA e Brasil também.
Mas, resumindo, eu to amando essa nova fase da minha vida, amando as pessoas que eu to conhecendo, e também as pessoas que mesmo de longe, estão me dando uma força descomunal pra tudo. Eu não poderia ser mais grata por todas as reviravoltas que a vida tá dando, tá TOPSTER! hahahahahahha

É isso gente, foi só um desabafo mesmo sobre tudo que tá acontecendo comigo nessa terrinha da pizza. Prometo que os próximos posts serão mais informativos do que pessoais, como tá sendo até agora. Eu só queria colocar pra fora e tentar mostrar que não é só porque eu to fora do Brasil, morando na Itália, que minha vida tá menos difícil, alias, ela tá bem mais complicada do que se eu tivesse ficado na minha zona de conforto nos EUA ou no Brasil. Mas aqui a gente não trabalha com conforto e vidinha fácil, a gente coloca no nível hard e só vai. Eu to muito feliz com a minha nova vida, de verdade mesmo, e com todas as decisões que eu tomei até chegar aqui.

Beijo no coração.

 

Vida pós EUA

Oie!! Voltei com a segunda parte do textão que eu fiz da minha volta ao blog. Nesse post eu contei um pouco sobre a minha visita ao Brasil no começo do ano e como eu vim parar onde estou hoje =)

• Brasil

Eu decidi voltar pro Brasil porque seria muito caro pra eu trocar meu visto pra estudante, a saudade de casa tava fora do comum (fazia 2 anos que eu não vinha pro Brasil), minha vózinha ta com muitos problemas de saúde e eu tava ficando doida de saber de tudo que ela tava passando, e eu tão longe dela. E fora que por mais que amasse muito minha vida em San Francisco, as coisas não estavam fluindo do jeito que eu gostaria, eu tava precisando de uma mudança, ficar perto da minha família e pensar o que eu realmente queria fazer dali pra frente. Precisava ficar perto das minhas tias, primas, primos e principalmente minha vózinha.

Meus pais e minhas irmãs foram pros EUA há mais ou menos um ano atrás. E o plano era eu ir pra lá depois de passar um tempo no Brasil. Mas algumas coisas mudaram no meio do caminho haha.

Cheguei no Brasil depois de 2 anos e foi muito estranho ver coisas que eu não via há tanto tempo, Habbib’s por exemplo, eu PIREI quando vi o primeiro no caminho de volta pra casa! hahah Pode parecer besteira, mas quando você passa muito tempo longe, você acaba esquecendo das coisas mais simples.

Ir pro Brasil foi uma nostalgia sem fim, a começar pelos lugares, comidas, até carros e também por reencontrar familiares e amigos.
Foi uma mistura de sentimentos constante, ao ver pessoas que eu não via há tanto tempo. A gente acha que tá todo mundo igual, que o tempo só passou pra gente, e esquece que a vida continua pra todo mundo.
Eu amei ver todos os meus amigos, amei ver que muitos, que eu não imaginava, fizeram questão de me ver mesmo depois de tanto tempo. E vi tanta gente que eu pensei que eu nunca mais ia ver. A vida é mesmo doida né.

Bom, quando estava no Brasil descobri que minha prima que mora na Itália (e que eu não via há 3 anos) estava indo pro Brasil passar as festas de fim de ano. Imagina a minha felicidade! Eu sempre fui muito próxima dela e saber que ia vê-la depois de tanto tempo, foi muito bom! E foi aí que as coisas começaram a mudar.

Depois do ano novo, eu, minha prima e meus tios fomos pra praia de Maresias pra aproveitar um pouco do verão (infernal) do Brasil. Conversa vai e conversa vem com a minha prima e ela, ao saber dos meus planos, me disse “O que você acha de ir pra Itália comigo? Eu conheço pessoas lá que podem te ajudar a arrumar um emprego e eu posso te dar uma força até você se ajeitar”. Queridos, não preciso dizer que eu não pensei duas vezes né? Em menos de 2 dias, eu já estava com a passagem comprada.

Fiquei mais 20 dias no Brasil, contando a novidade pra todo mundo, arrumando (de novo) minhas malas e fazendo (de novo) despedidas.

No dia 06 de fevereiro, eu, papai do céu e minha coragem, fomos – de novo – pra uma nova aventura, num novo país, numa nova experiência.

Pessoas, era isso que eu tinha salvo até agora de rascunho. Eu to na Itália há 5 meses e já tenho bastante coisa pra contar daqui!
Eu queria intercalar os posts daqui com as minhas viagens que eu fiz nos EUA. Eu fui pra Hawaii, Chicago, Las Vegas (de novo haha), New York e mais várias viagens curtas pela California mesmo. Acho que seria legal eu contar um pouco sobre elas. =)

É isso, agora deixa eu voltar pro meu Game of Thrones!
Beijos!